Thursday, April 16, 2015

Sri Prem Baba: Flor do Dia- Flor del Día- Flower of the day 16/04/2015

“Num relacionamento, quando o outro diz não para você, ou seja, quando ele não atende as suas expectativas, você logo fica magoado. Você se fecha e passa a agir com indiferença. Essa é sua defesa. Você finge que nada está acontecendo, mas fica remoendo por dentro. No fundo, você quer chamar a atenção do outro; quer que ele peça desculpas e faça você se sentir importante. Assim age o orgulho dentro de nós. Ele é um guardião que está a serviço de manter a identificação com o eu inferior. Enquanto não puder aceitar que o outro não pode fazer como você quer, trabalhe para se desidentificar do orgulho. Ao percebê-lo atuando pergunte: ‘Será que eu sou só isso? Eu sou o orgulho?’ Assim você pode voltar ao seu centro e abrir mão desse jogo.”

Acesse o Satsang completo: bit.ly/1HuNEq0

“En una relación de pareja, cuando el otro te dice no, o sea, cuando no atiende tus expectativas, después quedas herido. Te cierras y pasas a actuar con indiferencia. Esta es tu defensa. Pretendes que nada está sucediendo, pero te quedas molesto por dentro. En el fondo, quieres llamar la atención del otro, quieres que te pida disculpas y te haga sentir importante. Así actúa el orgullo dentro nuestro. Es un guardián que está al servicio de mantener la identificación con el yo inferior. Mientras no puedas aceptar que el otro no puede hacer lo que tú quieres, trabaja para des-identificarte del orgullo. Al percibirlo actuando pregúntate: ¿Será que yo solo soy eso? ¿Soy el orgullo? Así puedes volver a tu centro y soltar este juego.”

"In a relationship, we easily get hurt when the other says no or simply doesn’t meet our expectations. We close ourselves off and we become indifferent. This is our defense mechanism. We pretend that nothing is happening, but we are actually simmering on the inside. At a deeper level, we just want to get the other’s attention; we want them to apologize to us and make us feel important. This is the way pride acts within us. Pride is a guardian that is at the service of maintaining our identification with the lower self. As long as we’re still unable to accept that the other cannot or will not do what we would like, we must try to de-identify from our pride. As we observe pride acting in us, we can ask ourselves: ‘Is this all that I am? Am I only this pride?’ This will help you to return to your center and let go of this game.”